Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

It's my diary

" Sorrir é viver, parar é morrer "

It's my diary

" Sorrir é viver, parar é morrer "

Medo desse amor iludido

6d32c41209b79cfc3e46eba46ae6dced.jpg

 

 

Existem palavras que se perdem com o tempo. Sentimentos que simplesmente ficam silenciados pela força do medo. Mágoas que permanecem no nosso peito bem dentro do nosso coração. O medo que nos invade torna-se algo incompreensível. O nosso amor perde-se por medo, por mágoa, por uma idiotice, uma estupidez. O passado deveria ser a força para o nosso presente, para o nosso futuro, porém ele simplesmente nos leva ao fracasso, tudo porque fomos idiotas e não soubemos aproveitar a oportunidade do nosso amor.

Sussurros voltam com o vento. Sorrisos são vistos como meras ilusões todas as noites quando a lua atinge o seu ponto alto. Olhares fingem ser trocados quando os nossos olhos fitam a lua brilhante e cheia de todas as noites de lua cheia. Palavras de amor são ditas no silêncio de um passado que podia ter perfeitamente resultado. Um medo agonizante invade os nossos corpos e nos faz voltar atrás nas nossas decisões. Perdemos as forças. Fracassamos. E no fundo sabemos que tudo o que precisamos é um do outro, novamente. O nosso amor tem que resultar. Ouvimos esse sussurro diversas vezes, porém a coragem perde-se com o vento. Nossos olhares jamais voltaram a cruzar-se. Nossos sorrisos terão que seguir em frente sem se voltarem a encontrar. Nossos lábios não poderão ser tocados. Nosso toque não pode mais acontecer. Negamos a verdade. Negamos o evidente. Isto tudo por força do nosso amor silencioso.

Sinto-te voltar ao meu coração a passos bem lentos. Tua voz parece ser miragem, mas eu sinto-te. Teu olhar está distante, mas eu sinto-te a olhar-me. Teu sorriso encontra-se noutra galáxia, mas eu sinto que estás vinte e quatro horas a sorrir para mim. Pergunto-me se viverei em ilusão. As respostas estão lá. Contudo tu estás noutra cidade. Pergunto-te se também sentes o mesmo. Será que se um dia perguntar à lua, ela irá responder-me?! Tenho medo da resposta. Tenho medo…do nosso amor.

Ilusão. Toda a vida é feita disso mesmo, não é verdade?! Porém eu acreditei fielmente em nós. Eu acreditei nos teus olhos. Eu acreditei no teu sorriso. Eu acreditei nas tuas palavras. Eu acreditei no nosso…amor. Terá sido tudo real?! Tenho medo de saber a verdade. Tenho medo de cair na realidade e isso levar-me a esquecer todos os nossos momentos. Tenho medo simplesmente porque quero que continues dentro do meu peito, e fazes o meu coração palpitar.

Saudades. O meu coração está cheio delas. Sinto-me a enfraquecer cada vez mais, e tu não estás aqui. As saudades estão a tomar conta do meu corpo, e eu não posso ver o teu olhar. Eu preciso de ti. Eu preciso do teu sorriso. Eu preciso do teu toque. Eu preciso…dos nossos momentos, novamente. Quero-te de volta. Quero continuar amar-te. Quero continuar a escrever a nossa história sem medos de ser magoada ou de magoar. Quero que este amor resulte. Quero lutar por ti, por nós, pelo que fomos e pelo que poderemos ser.

Andreia Filipa Pereira

28 de Agosto de 2013

Amor abençoado

c86cc446ff0adc1f8c0aa05f43617a00.jpg

 

Ela sempre odiou roupas de marca, sapatos caros, dinheiro, e fama. Contudo, ela possuía a fama necessária para ter rios de dinheiro, e esse dinheiro servia perfeitamente para comprar milhares e milhares de roupas e sapatos caros.

Toda a gente a conhecia, e ela odiava isso. Não havia um único sítio para onde ela fosse, em que não ouvisse as habituais trocas de palavras a dizer que ela era única e demasiado bondosa para namorar com um rapaz como o Dougie Lee Poynter. As fãs mais obcecadas de Dougie sentiam demasiada inveja dela, e as fãs mais normais desejavam que eles fossem felizes.

O dia em que conheceu Dougie vagueava na sua mente a toda a hora, pois tinha sido a sua indiferença para com ele, que o tinha conquistado. Ela sempre admirou o baixista mais cobiçado do mundo, porém quando o conheceu, a timidez foi tanta que tratou-o como um simples conhecido. Esse desinteresse seu, despertou em Dougie um súbito interesse, que meses mais tarde acabou por se tornar em amor. Amor esse, que foi concebido em namoro no dia seguinte a terem descoberto os seus sentimentos.

O pedido de casamento foi feito numa das cidades preferidas dela, Coimbra. Eles estavam a passar um fim-de-semana romântico na romântica Quinta das Lágrimas. E foi ao som dos suspiros de Inês de Castro e D. Pedro, que Dougie pediu-a em casamento. Ela completamente apaixonada, aceitou sem hesitar, para grande alívio dele. Seguiu-se um beijo apaixonado e abençoado por aquele local, que era nada mais, nada menos, que a Fonte das Lágrimas.

Tinha passado um ano desde o pedido oficial, que foi num concerto dos McFly, e o casamento estava à porta. Ela andava demasiado nervosa, e já não aguentava muito mais aquela pressão por parte dos paparazzi e das fãs, que agora também eram suas fãs. Dougie, por si, encontrava-se calmo, ou pelo menos, tentava mostrar-se calmo.

O grande dia chegou, e foi, uma vez mais, na Quinta das Lágrimas, que estes dois apaixonados juraram amor eterno. O amor deles foi abençoado por aquele amor que em tempos passados ultrapassou tudo e todos, até mesmo a morte!

Ele dava pelo nome de Douglas Lee Poynter, e ela dava pelo nome de Andreia Filipa Pereira. Depois de consumirem o beijo apaixonado, viveram felizes para todo o sempre, sempre sobre o olhar atento de Inês de Castro e D. Pedro, que fizeram com que esta história tivesse um final feliz.

 

FIM

 

Andreia Filipa Pereira

18 de Agosto de 2011

 

Desculpem a minha ausência, mas não ando com muita pachorra! Prometo voltar em breve :x
Desde já, peço também desculpa por não ter respondido aos comentários do outro post :$
Muita obrigada por comentarem, e espero que gostem do textinho ^^
Beijinhos :D 

 

Sonho Inalcançável

9371970a16c8a1ce6edbd35d7cd5b759.jpg

 

Tento perceber o que vai dentro de mim. Tento escutar o meu coração. Tento ler a minha mente. Mas nada, nada mesmo, me consegue explicar aquilo que sinto por ti. Só sei que não me sais da mente, e muito menos do coração.

És tu quem ocupa os meus sonhos acordados, e aqueles em que estou a dormir. É nesses, em que estou a dormir, que flutuo nesse teu amor invisível e inalcançável. É nesses que me entrego a ti de todas as maneiras possíveis e imaginárias. É nesses que tu me juras amor eterno.

Quando estou acordada só penso no dia em que irás ser meu, como eu sou tua. Sim, eu pertenço-te. Pertenço-te porque tu me roubaste o coração e fazes questão em não me devolver. Pertenço-te, e nada, nem ninguém, irá mudar isso. Pertenço-te mesmo que tu pertenças a outra pessoa. Pertenço-te porque assim o quero e desejo, porque no fundo sei que és o único capaz de me merecer.

Quero ser a melodia forte que sai dos teus dedos. Quero ser a canção suave que sai da tua voz. Quero ser a lua que te ilumina na escuridão. Quero ser o sol que te guia. Quero ser o ar que respiras. Quero ser o oceano que banha o teu corpo. Quero ser o anjo que te protege. Quero ser a tua musa. Quero ser a tua vida. Quero ser o teu tudo.

Quero ser a rapariga que ocupa o teu coração. Quero ser a rapariga que divaga na tua mente. Quero ser a rapariga que te inspira. Quero ser a rapariga que amas.

Quero ser o teu baixo. Quero ser a tua voz. Quero ser os teus olhos. Quero ser o teu sorriso. Quero ser a tua gargalhada. Quero, simplesmente, que me ames como eu te amo a ti.

Amo-te e não consigo explicar o porquê. Só sei que para mim és o meu sonho mais irreal, mas que me faz continuar neste mundo real e cruel. Para mim és a luz mais intensa que vejo na escuridão. És como um anjo que me protege dos piores males deste mundo. És o sol que me guia para os melhores caminhos. És a minha alma gémea que me completa na perfeição. És a minha salvação. És a minha felicidade. Enfim, és a minha vida, o meu tudo mais importante.

Sei que jamais irás saber aquilo que sinto. Sei que jamais irás sentir por mim tudo aquilo que sinto por ti. Mas, mesmo assim, necessito de escrever o quanto és especial para mim. Talvez, eu ainda tenha um pouco de esperança que possas ler estas minhas palavras.

Marcaste a minha vida com um sentido especial. Um sentido único e maravilhoso. Fazes-me acreditar que tudo na vida é possível, basta lutarmos e acreditarmos. Fazes-me ter forças para continuar a lutar. Fazes-me mandar gargalhadas histéricas, mas verdadeiras. Fazes-me feliz.

Nunca conheci ninguém como tu. Nunca conheci ninguém que me completasse como tu me completas. Nunca conheci ninguém que fosse tão parecido comigo. Nunca conheci ninguém tão grandioso como tu.

És maravilhoso, único, perfeito, divertido. E é assim, desse teu jeito, que te amo. Amo-te pelo que és, pelo que foste, e pelo que serás. Amo-te porque és verdadeiro.

D.L.P., always (L)

Andreia Filipa Pereira

20 de Julho de 2010

 

Ps: Desculpem a ausência, mas tenho andado um pouco sem paciência...bah :c
Aqui fica mais um "podre" texto, mas espero que gostem :D
E já agora, quando postarem algo nos vossos blogs, avisem-me ^^

Kiss (L)

Acabou

Passou um ano desde que tudo começou a fazer sentido na minha vida. Passou um ano desde que entraste na minha vida e fizeste-me perceber o valor que eu tinha. Passou um ano desde que eu percebi o verdadeiro significado de felicidade e do amor verdadeiro. Passou um ano e muita coisa mudou desde aí.

Tudo mudou, e tu sabes disso. Os meus sentimentos alteraram-se. O teu coração fechou-se para mim. Os nossos momentos desapareceram como uma bonita névoa. A magia foi-se para longe. O calor desta paixão tornou-se frio. O fogo ardente das nossas veias tornou-se num oceano de icebergs. Este amor já não tem solução.

Custa-me aceitar que tudo acabou desta maneira. Custa-me pensar em ti como algo que já passou. Custa-me virar a página. Custa-me porque no fundo ainda gosto bastante de ti, mas eu sei que já não há volta a dar. E também, eu  já não gosto de ti como no inicio.

No fundo sei que me irei lembrar de ti para o resto da minha vida. No fundo sei que cada sorriso que sair dos meus lábios irá ter um pouco de ti. No fundo sei que o meu olhar irá reflectir cada momento que vivi contigo. No fundo sei que jamais me irei esquecer de ti.

Marcaste-me. Marcaste-me num momento chamado sempre. Marcaste-me por seres quem és. Marcaste-me por me teres proporcionado todos aqueles momentos. Marcaste-me por me teres amado desse teu jeito especial. Marcaste-me por me teres dado o devido valor. Marcaste-me, apenas por me teres feito feliz, mais feliz que nunca.

Virei a página e rumei a um novo capítulo. Mas não esqueço. Não esqueço que fizeste parte de mim. Não esqueço que foi graças a ti que ganhei novas forças. Não esqueço o quanto fui feliz contigo. Não esqueço a magia que havia em nós. Não esqueço o fogo que incendiava o meu peito de alegria e paixão. Não esqueço o amor que trocávamos com simples olhares e simples sorrisos. Não esqueço nem simplesmente um único segundo daquilo que vivi ao teu lado.

“Está descansado que não te roubo a miúda”, alguém disse numa certa noite. Noite essa em que estive bem próxima de ti. Assim que ouvi tais palavras uma felicidade enorme invadiu o meu peito, e demorei a assimilar o que elas realmente queriam dizer. Acabei por entender, mas por medo neguei. Disse que era solteira, e vi o teu olhar a ficar entristecido. Desviei o olhar, e tentei mudar o tema de conversa. Passados alguns segundos já estávamos ambos a rir em conjunto. A tua gargalhada era uma melodia perfeita misturada com a minha.

Amo-te, e disso não podes duvidar. Sim, amo-te menos que no inicio, mas continuo a amar-te e sei que para sempre irei continuar a amar, porque nunca se esquece realmente quem nos foi tudo, e tu foste o meu tudo mais importante. Segui em frente, mas tu continuas no meu coração. Segui em frente, mas continuo a amar-te. Segui em frente, simplesmente porque era o melhor para nós os dois.

Lembra-te que no passado fomos felizes juntos. Lembra-te de cada gargalhada que demos juntos. Lembra-te de cada olhar que trocamos. Lembra-te da cumplicidade dos nossos sorrisos. Lembra-te da magia dos nossos gestos. Lembra-te das minhas palavras “jamais me irei esquecer”. Lembra-te que juramos que iria ser eterno.

És eterno, e sabes bem disso. És eterno porque irás permanecer. És eterno porque marcaste. És eterno porque te irei sempre amar.

 

Andreia Filipa Pereira

12 de Julho de 2011

 

PS: Desculpem a ausência :\
Prometo que irei visitar os vossos blogs sempre que poder ;)
Kiss <3

Abismo

 

As lágrimas começam a sair dos meus olhos contra a minha vontade. O sorriso esconde-se cada vez mais atrás dos meus finos lábios. As últimas forças que me restam estão a desaparecer do meu corpo, fazendo-me cair no chão duro e frio. Tento levantar-me, mas não consigo. Tento renegar a dor que se quer apoderar de mim. Tento esquecer-te. Tento seguir em frente. Mas todas as minhas tentativas são em vão. Por mais que tente, tu não me sais da mente e muito menos do coração.

O meu peito dói-me cada vez mais, e o único sentimento que está presente em mim, são as saudades que sinto de ti, e de todos os nossos momentos. Relembro-me do teu olhar, do teu sorriso, do teu cheiro e da tua voz e começo a perceber que neste momento nada faz sentido na minha vida. Sinto falta de ti, e essa falta está a dar comigo em doida.

Não consigo respirar, pois o choro que em mim permanece é cada vez mais intenso e incontrolável. A cabeça dói-me, mas não consigo deixar de pensar em ti. O teu toque não larga a minha pele, e eu sinto que estou a cair lentamente no abismo. Vejo-te por todos os lados em que olho. Será isto, uma prova de que estou a ficar maluca?!

Tenho tantas dúvidas, e apenas algumas certezas. Amo-te e sei que nesta vida jamais me irei esquecer de ti. Amo-te, e sei que este amor será para sempre. Amo-te, e sei que somente tu irás ser capaz de me tirar deste abismo em que me encontro. Amo-te, e disso não podes duvidar.

Eu irei pertencer-te para sempre. Aconteça o que acontecer, eu irei ser eternamente tua! És o único dono de mim e do meu coração. És o único capaz de arrancar um sorriso dos meus lábios. És o único que me faz rir sem motivo para tal.

Preciso de ti meu amor, porque sem ti nada na minha vida faz sentido. Preciso de ti porque te amo cada vez mais.

Andreia Filipa Pereira

30 de Junho de 2011

 

Prometo textos melhores em breve (:

Alterei o link do tumblr, por isso se quiseres seguir clica aqui :p
Beijinhos ^^

Sentimento

7f92b5dbee0dfa19b03ca8dd9335265c.jpg

 

Todas as noites entras nos meus sonhos e me fazes sentir a rapariga mais especial do mundo. Todas as noites me assombras e me fazes desejar-te como no passado. Todas as noites me fazes eternas juras de amor. Todas as noites me beijas com esses teus lábios apetecíveis. Todas as noites me fazes acreditar que a nossa história ainda tem muitos capítulos para se escrever, capítulos esses, que só podem ser escritos em conjunto.

Acordo a meio da noite, e olho para o lado, na esperança de te ver ali ao meu lado, mas nada vejo. Tudo o que vejo, são as meras paredes brancas do meu quarto. Lágrimas começam a escorrer dos meus olhos, queimando-me a delicada face. Com a mão limpo-as e respiro fundo, tentando a todo o custo afastar-te da minha mente e do meu coração.

Fecho os olhos, na tentativa de adormecer uma vez mais. Adormeço, mas os meus sonhos são de novo povoados por ti, e pelas tuas doces palavras que me fazem acreditar que tudo irá ficar bem.

Deixo-me envolver uma vez mais neste sentimento forte que me une a ti, e rejeito todos os avisos do meu coração ferido. Deixo que me embales nesses teus suaves braços de seda. Deixo que os teus lábios rocem o meu ouvido enquanto me dizem juras de amor. Deixo me perder na profundeza desse teu olhar da cor de esmeralda. Deixo que as tuas mãos explorem cada parte do meu corpo. Deixo que os teus lábios deslizem sobre o meu pescoço fazendo-me arrepiar por completo. Deixo que a tua língua se envolva à minha num misto de emoções e sentimentos.

Abro os olhos, uma vez mais, e olho para o lado esperançosa por te ver ali a segurar o meu corpo com os teus braços. Tu fitas-me atentamente com esses teus maravilhosos olhos e sussurras-me ao ouvido que está tudo bem e que nada, nem ninguém nos irá separar. Sorrio-te imensamente e agradeço-te por tudo o que fizeste por mim, e por toda a felicidade que me proporcionas. O teu delicado dedo sobe até aos meus lábios, impedindo-me de falar.

- Shiu. Não digas nada princesa. – sussurras-me uma vez mais, e depois os teus doces lábios tocam os meus ao de leve – Amo-te, nunca te esqueças disso. – e depois desapareces como uma névoa.

Acordo sobressaltada, e olho para o lado. Nada vejo, e mais uma vez as lágrimas apoderam-se dos meus olhos e queimam a minha face. Tento controlar o meu choro, que a cada segundo se torna mais compulsivo.

Respiro fundo várias vezes, e tento mentalizar-me que tudo irá ficar bem, porém sei que jamais irei ficar contigo. A dor reside no meu peito desde que tu deixaste de estar ao meu lado, e por mais que eu tente, por mais que eu lute, a dor não desaparece. Houve uma altura em que ela desapareceu, mas foi nessa altura em que estive contigo.

Hoje sei que preciso de ti ao meu lado para ser feliz. Hoje sei que és somente tu o único capaz de arrancar um sorriso dos meus lábios. Hoje sei que és o único capaz de me fazer feliz. Hoje sei que és o único capaz de domar o meu coração e a minha mente.

Por tudo aquilo que és, e por tudo aquilo que me fazes sentir e viver, te amo cada vez mais. O amor que sinto por ti não tem dimensão, pois ele é imenso, talvez maior que o universo. O amor que sinto por ti é algo inexplicável, algo incontrolável, algo que só quem o sente é capaz de perceber a sua dimensão e sentimento.

Amo-te e é a ti que devo a minha felicidade, e o meu sorriso! Obrigada por tudo meu eterno, e único amor.

Andreia Filipa Pereira

25 de Junho de 2011

 

Ps: Espero que tenham gostado do textinho ^^

Quem tiver tumblr pode me adicionar aqui :D

E já agora quem quiser clicar no gosto na página do face, é aqui :p

Beijinhos

Medo

Uma das coisas que mais tenho medo na vida é da morte. Não apenas da minha, mas principalmente daqueles que amo. Nunca tolerei muito a ideia de alguém deixar de existir. É algo tão estranho, tão sentido. Quando alguém que conheço, mesmo sendo pessoas famosas (como por exemplo: Francisco Adam, Angélico Vieira, Princesa Diana), sinto-me a despedaçar completamente por dentro. Quando vejo alguém a partir começo a pensar naqueles que mais amo, e sinto uma necessidade enorme de os abraçar e mantê-los para sempre bem juntos ao meu peito.

Recordo-me perfeitamente do dia 13 de Janeiro de 2008. Sei que ao inicio controlei demasiado bem as lágrimas, pois queria me mostrar forte. Mas depois, vi aquela caixa castanha a que chamam caixão, e tomei consciência que uma das pessoas mais importantes da minha vida tinha partido. Lágrimas começaram a escorrer pela minha face, queimando-me as bochechas rechonchudas que ela tanto gostava. Um choro incontrolável apoderou-se de mim, e a dor povoou o meu peito de forma bastante avassaladora. Não tive tempo de me despedir dela. Não tive tempo de lhe dizer um último AMO-TE.

No dia anterior, 12 de Janeiro de 2008, fazia precisamente 10 anos que outra das pessoas mais importantes da minha vida se tinha ido. Tenho poucas memórias dela. Mas, juro-vos, as que tenho são as que guardo com mais carinho dentro de mim. Foi com ela que aprendi a andar. Foi com ela que aprendi a detestar comida fria. Foi ela que sempre me tratou como uma princesinha. Apesar de ter estado poucos anos da minha vida com ela, sinto imensas saudades. Queria poder tê-la aqui ao meu lado outra vez para me proteger dos males que este mundo me faz. Porém, sei que ela permanece bem perto de mim. Sei que quando mais preciso é ela que me protege. Sei que é ela o meu anjo da guarda. AMO-A INCONDICIONALMENTE!

10 de Outubro de 1995, foi o dia em que outra das pessoas mais importantes da minha vida partiu. Lembro-me que era ele que me fazia as vontadinhas todas. Lembro-me que bastava eu dizer “eu quero…”, e ele dava-me tudo. Lembro-me das brincadeiras que ele tinha comigo e com os meus primos. Lembro-me de ele me ter ensinado a derreter o gelado e só depois comer. Lembro-me de ele me ensinar a enrolar as fatias de queijo ou de fiambre. Lembro-me que ele me tratava como uma bonequinha de porcelana que ao mais pequeno toque se podia desfazer em pedaços. Tenho saudades. AMO-O!

Não sei ao certo o dia ou mês, mas sei o ano, 1998. Nesse ano partiu outra das pessoas que mais sentido dava a minha vida. As recordações são escassas, mas lembro-me de ele me dizer que eu era a sua princesa. Lembro-me de quando o fui visitar uma vez e ele foi super fofo comigo. Sei que apesar de ele ter partido, ele está lá em cima a olhar por mim, e por aqueles que amo e que ele também ama. E sim, AMO-O!

Com isto tudo aprendi que devemos dar valor aqueles que amamos. Aprendi que devemos dar valor aos nossos pais, aos nossos avós, aos nossos primos, aos nossos tios, e aos nossos amigos. Nunca é tarde para relembrar que amo a minha mãe e que o meu maior medo é perdê-la. Amo o meu pai. O meu primo é, digamos, o meu porto de abrigo, e eu amo-o incondicionalmente. Os meus outros primos são a essência do meu sorriso. Os meus tios são uma parte de mim. A minha melhor amiga. Essa. Sei que quando um dia a perder o meu mundo vai deixar de fazer qualquer sentido. Amo-a, e demasiado. Ela é o meu sol num dia de tempestade. Digamos que é a única capaz de me entender. Os meus amigos são simplesmente tudo para mim, e eu não consigo viver sem eles.

Não quero perder aqueles que amo. Não quero, porque sei que no dia em que cada um deles partir, um pedaço de mim irá também.

Hoje, já vários pedaços foram arrancados de mim, principalmente quatro deles. Mas sabem, é por eles que eu me mantenho aqui, forte e lutadora. Cada um deles deixou em mim uma força única. Força essa que me torna cada vez mais forte, e capaz de ultrapassar tudo.

Obrigada a todos vocês que me ensinaram tanto e me tornaram naquilo que sou hoje. Avô Nélson, avô Elias, avó Néli, e avó Mila, tenho saudades vossas. Mãe, pai, primo, melhor amiga, primos, tios, madrinha e amigos, eu amo-vos mais que qualquer coisa na vida, por isso peço-vos: NUNCA ME ABANDONEM, POR FAVOR.

Aqueles que já partiram digo um: Descansem em paz <3.

Desculpem mas senti necessidade de escrever este texto. A morte do Angélico afectou-me. É tão estranho ver pessoas tão novas a partir. Saber que o meu primo tem praticamente a mesma idade que ele, deixa-me mal e com medo, pois sinto que posso perder o meu primo.

Arrepia-me um pouco a morte dele porque lembro-me que há uns anos atrás quando o Francisco Adam partiu, ele e o resto da banda dos D’ZRT cantaram uma música intitulada “encara a estrada como um perigo”. Cada palavra dita daquela música, hoje faz qualquer sentido em ser dita ao Angélico.

Descansa em paz Angélico Vieira.

Andreia Filipa Pereira

29 de Junho de 2011

Dream

532cf83387f1f483fc822f547767e1e5.jpg

 

Eu, tu, eles (o teu melhor amigo e a minha confidente) e ela estávamos na pequena casa da minha tia mais a minha prima. Tu e ele estavam bastante bêbedos. Ele não parava de se atirar a ela, e tu não paravas de te atirar a mim, contudo rias-te. Afastei-te com todas as forças que tinha, pois pensava que estavas a gozar comigo.

Quando dei por mim não te encontrei, até que a minha tia abriu a porta da casa de banho. Petrifiquei quando vi que ela estava de joelhos e com a cabeça apoiada no meio das pernas dele. Ele estava no meio de vocês. Não consegui ver o que estavas a fazer, mas vi o que ela estava a fazer. A sua boca deslizava sobre o órgão dele. Comecei a entrar em choque. A dor começou a povoar o meu peito, e as lágrimas queriam escorrer pela minha face, contudo eu não as deixei. Respirei fundo e ignorei a dor que sentia.

Puxei-a (a minha confidente), para longe e perguntei-lhe se tu estavas envolvido naquele acto. Ela respondeu-me que não, e a dor que sentia aliviou por momentos. Contudo eu continuava magoada, pois sentia que tinha sido traída. Porém nós não tínhamos nada e tu tinhas o direito de te envolver com quem quisesses. Ouvi a minha tia a dar-vos um sermão, e tu apenas te rias. A dor começava a aumentar de segundo para segundo.

Fechei os olhos e quando os abri tu estavas ali à minha frente a sorrir-me como se nada se tivesse passado. Aproximaste-te de mim tocando-me na face. Notei que querias algo comigo, e isso fez com que eu explodisse.

- Porque te estás a atirar a mim quando já te atiraste a outras?! – inquiri-te com nojo. Sim, naquela altura sentia nojo de ti. Sentia nojo da merda de rapaz que eras.

- Eu só me atiro a ti meu amor. – retorquiste-me com o teu maior sorriso, contudo depois deste uma gargalhada, dando-me a parecer que estavas a gozar, porém eu sabia que estavas bêbedo.

- Amor?! Não me chames de amor quando andas metido com outras! – disse-te afastando-me cada vez mais de ti. Estava descontrolada, e os meus sentimentos por ti estavam a tornar-se em algo mais poderoso que amor.

- Sim, amor. Tu és o meu amor. – aproximaste-te de mim e fizeste-me uma festa na face – Eu não ando metido com outras. – sorriste, porém desta vez não te riste.

- Se sou o teu amor porque andas envolvido com ela?! – inquiri-te tentando controlar as lágrimas que teimavam em sair dos meus olhos. O meu corpo tremia por todos os lados, e o meu coração doía-me como nunca me tinha doído.

- Eu não ando envolvido com ninguém. A única pessoa que quero na minha vida és tu, meu amor! – disseste na maior das calmas enquanto a tua mão deslizava pela minha cara e pelo meu pescoço. Arrepiei-me.

Acordei sobressaltada e olhei para o lado. Nada vi para além de quatro paredes brancas. Suspirei.

Mais uma noite em que tinha sonhado contigo. Mais uma noite em que me disseste que me amavas. Mais uma noite em que me deixei envolver pela tua doce tentação. Mais uma noite em que apenas nós existimos no meu pequeno mundo. Mais uma noite em que voltaste a deixar-me confusa. Mais uma noite em que mexeste comigo.

Com isto tudo aprendi que não vale a pena negar o evidente. Eu amo-te, e ainda me preocupo com o que pensas e com o que sentes. Não consigo seguir em frente, pois tu acabas sempre por me assombrar.

Tenho medo. Medo de fracassar. Preciso de ti, é a única coisa que consigo dizer no meio da confusão que paira na minha cabeça.

 

Andreia Filipa Pereira

19 de Junho de 2011

 

Desculpem qualquer pormenor menos coiso, mas este texto teve como base um sonho que tive :$

Sim, eu sei, tenho uns sonhos um bocado estranhos :\

Btw...espero que gostem ^^

Mudança

Sim sou eu, mas fiquem descançados que não sou psicótica :p

 

Há um ano, quando apareceste na minha vida, eu mudei. Mudei tudo aquilo que era, tudo aquilo que pensava. Mudei para satisfazer os teus caprichos infantis. Mudei para que amasses quem eu era. Mudei por te amar demais.

Tentei mostrar-te diversas vezes a mudança significativa que fizeste em mim. Tentei dizer-te que fui feliz com essa mudança. Tentei que te orgulhasses de mim. Tentei que amasses o novo eu, que no fundo foi criado por ti. Tentei abrir-te os olhos ao verdadeiro amor. Tentei fazer-te feliz. Tentei salvar o mundo por ti. Tentei dar-te a lua e o sol. Mas todas as minhas tentativas e mudanças, nada significavam para ti. Tudo aquilo que fazia por ti, era como um acto desprezado. Todo o meu amor era como lixo para ti. E eu era, simplesmente, uma névoa na tua vida!

Ignoravas-me como se eu fosse uma pessoa invisível. Falavas-me como se eu fosse uma mera conhecida, ou devo dizer, desconhecida. Tu não vias a beleza que tu próprio criaste em mim. Sim, tu transformas-te um patinho feio, num belo cisne. Antes de te conhecer eu era uma rapariga fútil, mimada, ciumenta, egoísta, infeliz, pessimista, fraca. Mas isso era dantes, agora sou precisamente o contrário. A felicidade reina o meu mundo. Os ciúmes passam-me ao lado. O egoísmo é a coisa que mais odeio no mundo. O optimismo é a minha palavra-chave. Sou forte. A menina mimada e fútil que era dantes, agora não existe!

Porém, hoje, magoaste-me mais que qualquer coisa no mundo. Espetaste uma faca bem no centro do meu peito, e como se isso não bastasse ainda a rodaste milhares de vezes. A dor é muita, e o sangue que corre do meu peito provoca em ti uma felicidade nunca antes vista!

Seguro-me bem firmemente na parede e luto contra a dor que reside agora no meu peito. Sem forças, o meu braço escorrega na ombreira da porta, causando assim um enorme corte. Não senti dor, até pelo contrário, senti satisfação! Olho para o corte e vejo o meu sangue a derramar como uma bela fonte. Sorrio feliz, e caminho, agora mais forte, até a gaveta. Tiro de lá uma faca bem afiada. Passo o meu dedo sobre a lâmina, cortando-o. Rio-me sarcasticamente. Faço a lâmina chegar aos meus braços, cortando-os bem fundo. O sangue que dantes corria em mim, começa a cair no chão, como chuva torrencial. Uma lágrima cai dos meus olhos, queimando-me a face. Rapidamente a limpo com a mão, agora suja de sangue.

- Jamais me irás magoar de novo, pois agora quem causa a minha dor sou eu! – grito enquanto o meu corpo cai no chão, já sem forças. Tento lutar contra a escuridão, porém ela não me deixa. Os meus olhos começam-se a fechar, e eu já não tenho forças para os abrir de novo. E assim deixo-me levar pela escuridão. Escuridão essa que foi causada por ti. Uma vez mais, mudaste-me e fizeste com que eu tivesse atitudes que nunca pensei ter. Voltaste a criar um novo EU!

Andreia Filipa Pereira

17 de Junho de 2011

 

Ps: http://www.conteconnosco.com/trabalho-detalhe.php?id=792 - continuem a votar por favor :$ Votem todos os dias, é mesmo importante :$