Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

It's my diary

" Sorrir é viver, parar é morrer "

It's my diary

" Sorrir é viver, parar é morrer "

Acabou

Passou um ano desde que tudo começou a fazer sentido na minha vida. Passou um ano desde que entraste na minha vida e fizeste-me perceber o valor que eu tinha. Passou um ano desde que eu percebi o verdadeiro significado de felicidade e do amor verdadeiro. Passou um ano e muita coisa mudou desde aí.

Tudo mudou, e tu sabes disso. Os meus sentimentos alteraram-se. O teu coração fechou-se para mim. Os nossos momentos desapareceram como uma bonita névoa. A magia foi-se para longe. O calor desta paixão tornou-se frio. O fogo ardente das nossas veias tornou-se num oceano de icebergs. Este amor já não tem solução.

Custa-me aceitar que tudo acabou desta maneira. Custa-me pensar em ti como algo que já passou. Custa-me virar a página. Custa-me porque no fundo ainda gosto bastante de ti, mas eu sei que já não há volta a dar. E também, eu  já não gosto de ti como no inicio.

No fundo sei que me irei lembrar de ti para o resto da minha vida. No fundo sei que cada sorriso que sair dos meus lábios irá ter um pouco de ti. No fundo sei que o meu olhar irá reflectir cada momento que vivi contigo. No fundo sei que jamais me irei esquecer de ti.

Marcaste-me. Marcaste-me num momento chamado sempre. Marcaste-me por seres quem és. Marcaste-me por me teres proporcionado todos aqueles momentos. Marcaste-me por me teres amado desse teu jeito especial. Marcaste-me por me teres dado o devido valor. Marcaste-me, apenas por me teres feito feliz, mais feliz que nunca.

Virei a página e rumei a um novo capítulo. Mas não esqueço. Não esqueço que fizeste parte de mim. Não esqueço que foi graças a ti que ganhei novas forças. Não esqueço o quanto fui feliz contigo. Não esqueço a magia que havia em nós. Não esqueço o fogo que incendiava o meu peito de alegria e paixão. Não esqueço o amor que trocávamos com simples olhares e simples sorrisos. Não esqueço nem simplesmente um único segundo daquilo que vivi ao teu lado.

“Está descansado que não te roubo a miúda”, alguém disse numa certa noite. Noite essa em que estive bem próxima de ti. Assim que ouvi tais palavras uma felicidade enorme invadiu o meu peito, e demorei a assimilar o que elas realmente queriam dizer. Acabei por entender, mas por medo neguei. Disse que era solteira, e vi o teu olhar a ficar entristecido. Desviei o olhar, e tentei mudar o tema de conversa. Passados alguns segundos já estávamos ambos a rir em conjunto. A tua gargalhada era uma melodia perfeita misturada com a minha.

Amo-te, e disso não podes duvidar. Sim, amo-te menos que no inicio, mas continuo a amar-te e sei que para sempre irei continuar a amar, porque nunca se esquece realmente quem nos foi tudo, e tu foste o meu tudo mais importante. Segui em frente, mas tu continuas no meu coração. Segui em frente, mas continuo a amar-te. Segui em frente, simplesmente porque era o melhor para nós os dois.

Lembra-te que no passado fomos felizes juntos. Lembra-te de cada gargalhada que demos juntos. Lembra-te de cada olhar que trocamos. Lembra-te da cumplicidade dos nossos sorrisos. Lembra-te da magia dos nossos gestos. Lembra-te das minhas palavras “jamais me irei esquecer”. Lembra-te que juramos que iria ser eterno.

És eterno, e sabes bem disso. És eterno porque irás permanecer. És eterno porque marcaste. És eterno porque te irei sempre amar.

 

Andreia Filipa Pereira

12 de Julho de 2011

 

PS: Desculpem a ausência :\
Prometo que irei visitar os vossos blogs sempre que poder ;)
Kiss <3

Escuridão

e04e4136c895fb11d9bd06efd2be767d.jpg

 

Hoje, ao fim de quase três meses de saber que o meu fim estava próximo decidi escrever uma carta ao único rapaz que mereceu o meu amor. Muitas foram as tentativas falhadas, o balde estava cheio de cartas rasgadas, até que algo me saiu.

 

Londres, 20 de Maio de 2011

 

Deito-me sobre o chão frio e duro, tentando a todo o custo afastar a dor que em mim causas, mas parece que nenhuma dor é pior aquela que tu exerces sobre mim.

Os momentos que passamos juntos não me saem da mente e principalmente do coração. Não consigo esquecer nem um único segundo que passei contigo. Não consigo esquecer as nossas trocas de olhares e a nossa cumplicidade em simples sorrisos. Não consigo esquecer uma única palavra que saiu da tua boca. Não consigo esquecer as tuas atitudes que me deixavam, e deixam, completamente dividida e confusa. Não consigo esquecer a felicidade que me proporcionaste. Não consigo esquecer-te simplesmente.

A verdade, que em parte está a vista de todos, é que eu ainda penso bastante em ti, e ainda te amo, talvez como no primeiro dia de toda esta história. Amo-te, e por mais que queira não consigo apagar este sentimento. Sempre que tento esquecer-te e deixar de te amar, tu tens atitudes que me fazem voltar a acreditar que talvez ainda existe uma hipótese para nós os dois. Talvez tudo não passe duma mera ilusão minha, mas não consigo afastar a esperança que tenho em voltar-te a ter-te nos meus braços.

Existe uma força enorme dentro de mim que teima em que eu seja eternamente a tua miúda, mas essa força vai contra os meus desejos, e em parte, contra a realidade. Hoje o meu maior desejo é esquecer-te, ou melhor dizendo, esquecer-te como se fosses a minha metade, a minha essência de vida, porque ambos sabemos que esquecer-te completamente é impossível, pois os momentos que passei a teu lado foram simplesmente os melhores da minha vida, e isso não deverá ser esquecido. Uma felicidade como aquela que senti ao teu lado merece ser recordada, e por minha vontade irá ser. Por muito que me custe, por muito que me doa, irei sempre recordar-me de ti, e de todos aqueles momentos.

Ouvir a tua voz faz-me sentir um misto de emoções, muitas delas opostas. Tristeza, alegria, dor, mágoa, felicidade, paixão, ódio, amor, saudades, são apenas um exemplo das emoções que passam pelo meu coração sempre que oiço a tua voz. Ouvir a tua voz faz com que o meu coração se despedace cada vez mais devido as muitas saudades que sinto de ti. Ouvir a tua voz faz-me reviver aquele “nosso” passado perfeito. Ouvir a tua voz faz despertar, de novo, a esperança que tenho em um dia poder haver um “nós”.

Levanto-me do chão decidida em afastar-te de vez da minha vida, do meu pensamento e principalmente do meu coração. Apago do computador tudo aquilo que me faz lembrar de ti, deito fora todas as lembranças que tenho dos nossos momentos, e por fim rasgo os pequenos papéis que tu escreveste. No meio deles encontro uma pequena carta endereçada a mim, olho para o remetente e reparo que a carta é tua. Tento ignorar esse facto, mas não consigo e acabo por abrir a carta.

 

“20 de Abril de 2009

Querida Rose,

Sei que quando leres esta minha carta já deves saber daquilo que fiz. Sim, o que te contaram é verdade. Eu envolvi-me com a Patrice.”

 

Ao ler o primeiro parágrafo da carta lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, por isso tentei ignorar o resto do conteúdo da carta e pousei-a na caixa das recordações. Liguei o Messenger e reparei que estavas online. Olhei para a carta e sem resistir peguei nela e voltei a lê-la.

 

“Peço-te por tudo Rose tem calma ao leres cada palavra desta minha sincera carta. Eu envolvi-me com a Patrice, sim, mas foi tudo para tentar te esquecer. Tentei de tudo, mas nada resultava, nem mesmo o envolvimento com ela resultou. Porém soube que tu também gostavas de mim e que estavas a sofrer bastante com este afastamento, por isso achei melhor que soubesses que eu tinha seguido em frente pois assim ias seguir em frente e deixavas de sofrer. Talvez esteja errado, mas só quero o teu bem e não quero que sofras por mim.

Desculpa todo o sofrimento que te causei, e acredita que não era minha intenção. Amo-te demasiado para te magoar, e acredita que me amaldiçoo todos os segundos por te ter causado tanto sofrimento. Desculpa por tudo meu amor.

Sei que não sou ninguém para te pedir nada, mas só quero que tenhas cuidado contigo, e sê feliz, pois tu mereces toda a felicidade do mundo. E lembra-te que numa parte isolada do mundo existe sempre uma pessoa que te ama mais que qualquer coisa na vida, até mais que a sua própria vida.

 

Beijos de quem te ama mais que a própria vida,

Jack Dawson”

 

Mais lágrimas escorreram pelo meu rosto ao ler cada palavra que escreves-te, e sem aguentar mais meti conversa contigo no Messenger e disse-te apenas: “Amo-te”. Esperei alguns minutos pela tua resposta, até que alguém bateu à porta.

Fui abri-la e qual é o meu espanto quando te vejo lá. Sorri-te imensamente e tu retribuíste-me o sorriso enquanto embalavas a minha cintura no teu braço. Envolvi o teu pescoço com os meus braços, puxando-te mais para mim. O teu hálito batia sobre os meus lábios fazendo-me ansiar por um beijo teu. Mordi o lábio como forma de afastar esse desejo, e tu riste-te e depois beijaste-me com todo o amor, paixão e desejo que haviam dentro de ti. Correspondi ao beijo de forma grandiosa e entreguei-me completamente a ti. As nossas línguas mexiam-se de forma mágica, e as nossas mãos exploravam cada parte incerta dos nossos corpos.

Tu eras o único a quem me devia entregar, pois foste o único que mereceste o meu amor eterno e mágico. Por tudo o que me fizeste passar, entrego-te esta carta meu amor.

Amo-te não só por aquilo que és, mas sim por aquilo que me fizeste passar. Serei eternamente tua, meu Jack!

 

Da tua,

Rose DeWitt Bukatter Dawson.

 

Coloquei a carta dentro do envelope branco e fechei-o. Caminhei até a pequena varanda, que era o meu sítio com ele, e sentei-me numa das cadeiras brancas que lá estavam. As memórias dos momentos que passei com ele começaram a invadir a minha mente, e as lágrimas apoderaram-se dos meus olhos.

- Amo-te tanto meu Jack. – sussurrei entre soluços e depois cai completamente no escuro.

 

Andreia Filipa Pereira

21 de Maio de 2011

Passado Perfeito

Foi há um ano que tudo começou. Foi há um ano que os meus olhos entreolharam os teus e me fizeram sentir algo especial. Ao inicio neguei aquilo que sentia, neguei que te amava, neguei simplesmente porque não queria sofrer.

Meses mais tarde, precisamente dois meses mais tarde, admiti perante mim mesma o quanto te amava, e o quanto eras especial e importante na minha vida. Desde esse dia nunca mais parei de me envolver neste sentimento simplesmente inexplicável. Deixei que todo este sentimento crescesse cada vez mais, e deixei que a tua presença me fizesse sentir feliz. Deixei que os nossos momentos fossem os melhores da minha vida. Deixei que os meus olhos brilhassem por te ter por perto. Deixei que apenas e somente tu fizesses o meu sorriso. Deixei entrar-te no meu coração para nunca mais saíres.

Hoje sei que errei. Errei por ter deixado crescer demasiado todo este sentimento. Errei ter deixado que a tua simples presença me fizesse sentir feliz. Errei ter deixado que os nossos pequenos momentos fossem os melhores desta minha vida. Errei ter deixado os meus olhos brilharem por te ter ali. Errei ter deixado que apenas tu fizesses o meu sorriso. Errei ter-te deixado entrar no meu coração. Enfim, errei ao pensar que eras diferente e que irias fazer-me feliz eternamente.

Se tudo isto acabou a culpa foi somente tua. Tu é que me magoaste. Tu é que me espetaste uma faca bem no fundo do meu coração. Tu é que me trocaste.

Nunca pensei que fosses capaz de me magoar, mas como sempre enganei-me, e bem. Magoaste-me, e bastante! A mágoa que em mim causaste é demasiado profunda para te perdoar, isto se alguma vez tu me pedires desculpa.

Mas hoje não quero saber do que sentes, nem do que poderá vir a acontecer. Tudo o que quero é esquecer que alguma vez fizeste parte de mim. E mesmo enquanto não te esquecer, fica sabendo que tudo acabou. Acabou porque simplesmente não consigo amar-te mais. Não consigo porque a mágoa que em mim perdura é demasiado grande.

Por isso sei que tenho que te esquecer. Sei que tenho que te apagar da minha memória. Sei que tenho que apagar por breves instantes aqueles nossos momentos que me fizeram totalmente feliz. Sei que tenho que virar a página e rumar a um novo capítulo.

Quando te esquecer irei voltar a relembrar-te, talvez, com um sorriso nos lábios, porque afinal em tempos, apenas tu me fizeste feliz.

Por toda a felicidade que me proporcionaste, por todos aqueles momentos, te digo uma última vez: Amo-te.

Até breve…

Andreia Filipa Pereira

01 de Maio de 2011

FIM

 

Magoa saber que tudo acabou, magoa saber que toda aquela felicidade sentida no passado não irá voltar mais, magoa simplesmente saber que tenho que te esquecer.

Dói não poder dizer aquilo que sinto, dói ter que esconder perante o mundo todo este sentimento, dói saber que tenho que esquecer a melhor parte da minha vida.

Hoje tudo aquilo que existe em mim é: Um choro escondido que sai quando estou sozinha. Um falso sorriso mostrando a todos que estou bem e quando não o estou. Uma ferida que não sara. Uma mágoa que perdura. Um sentimento simplesmente inesquecível. Saudades de momentos que eu sei que jamais irão voltar. Desejos proibidos. Fogo ardente que queima nas veias e no coração. Lágrimas que escorrem e queimam o meu rosto. Uma dor incontrolável no peito que me faz doer o corpo todo. Um sonho irreal. Uma luta perdida. Uma força que falha. Um amor que tem que ser esquecido…

Amar e não poder dizer o que sinto magoa. Esquecer sem tentar uma última vez por um grande amor, dói.

Sinto-me a desfalecer. Sinto-me perdida. Sinto-me na escuridão. Sinto-me na infelicidade. Sinto-me simplesmente sozinha.

Apetece-me chorar sem fim. Apetece-me desaparecer daqui e caminhar sobre uma estrada sem fim. Apetece-me simplesmente deixar de sofrer.

Começo a ficar cansada de lutar por algo que foge de mim sempre que a alcanço. Começo a ficar cansada de toda esta vida cruel.

Gostava de ter mais forças para seguir em frente, mas não consigo tê-las. Não consigo, porque continuo presa a algo que me está a matar.

O choro é o meu único consolo neste momento, e os momentos que permanecem na minha memória servem para atormentar ainda mais a dor que preside no meu peito.

Mas hoje sou forte o suficiente para gritar que acabou. Esta história acaba por aqui, e amanhã quando acordar irei rumar a um novo capítulo. Irei a luta, pois sei que posso vencer!

 

Andreia Filipa Pereira

5 de Abril de 2011

The end...

 

O dia que tanto temia há já algum tempo, chegou…esqueci-te! Não sei bem o motivo deste esquecimento, só sei que já não sinto o mesmo por ti. Já não sinto aquela magia que sentia quando te olhava, já não sinto aquele fogo ardente nas veias que sentia sempre que me sorrias, já não sinto o formigueiro no estômago como sentia sempre que tu me tocavas…simplesmente já não sinto!

Tentei lutar por este amor que acreditava ser eterno, mas tudo foi em vão…não consegui lutar contra a tua ausência…as saudades que sentia tornaram o meu coração gelado e nem tu o conseguiste derreter…outra vez.

Amar-te não foi um erro, ao amar-te voltei a encontrar a felicidade que há muito estava perdida na minha vida…e se me perguntarem se realmente te esqueci eu irei responder que não, pois os momentos que passei contigo ainda estão bem presentes na minha memória e sei que irão permanecer lá…

Tudo na vida acontece por uma razão, e se eu ao amar-te voltei a ser feliz, esquecer-te também me irá trazer algo…talvez um novo amor, ou talvez seja uma maneira de tu abrires os olhos em relação ao que realmente sentes por mim.

Não estou arrependida dos momentos que passei contigo, porque aproveitei-os a todos ao máximo e também sei que foram merecidos! Tu mereceste o meu amor por ti…hoje já não o mereces, mas não…na verdade, ao relembrar os momentos que passamos continuas a merecer esse amor. Embora saiba que não posso amar alguém que congelou o meu coração com ausência.

E sim, sinto a tua falta…do teu sorriso e do teu olhar que me faziam flutuar num império sem fim. Sinto falta do teu toque que me fazia voar para um mundo cheio de fantasia onde eu era a Julieta e tu o Romeu…

Talvez tenha sido a tua ausência que fez com que o meu amor por ti se apaga-se…talvez tenham sido as saudades que mataram toda essa magia que sentia por ti…

E por todos os momentos que passei contigo te digo um último: “Amo-te”…

 

AndreiaFilipaPereira