Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

It's my diary

" Sorrir é viver, parar é morrer "

It's my diary

" Sorrir é viver, parar é morrer "

Medo desse amor iludido

6d32c41209b79cfc3e46eba46ae6dced.jpg

 

 

Existem palavras que se perdem com o tempo. Sentimentos que simplesmente ficam silenciados pela força do medo. Mágoas que permanecem no nosso peito bem dentro do nosso coração. O medo que nos invade torna-se algo incompreensível. O nosso amor perde-se por medo, por mágoa, por uma idiotice, uma estupidez. O passado deveria ser a força para o nosso presente, para o nosso futuro, porém ele simplesmente nos leva ao fracasso, tudo porque fomos idiotas e não soubemos aproveitar a oportunidade do nosso amor.

Sussurros voltam com o vento. Sorrisos são vistos como meras ilusões todas as noites quando a lua atinge o seu ponto alto. Olhares fingem ser trocados quando os nossos olhos fitam a lua brilhante e cheia de todas as noites de lua cheia. Palavras de amor são ditas no silêncio de um passado que podia ter perfeitamente resultado. Um medo agonizante invade os nossos corpos e nos faz voltar atrás nas nossas decisões. Perdemos as forças. Fracassamos. E no fundo sabemos que tudo o que precisamos é um do outro, novamente. O nosso amor tem que resultar. Ouvimos esse sussurro diversas vezes, porém a coragem perde-se com o vento. Nossos olhares jamais voltaram a cruzar-se. Nossos sorrisos terão que seguir em frente sem se voltarem a encontrar. Nossos lábios não poderão ser tocados. Nosso toque não pode mais acontecer. Negamos a verdade. Negamos o evidente. Isto tudo por força do nosso amor silencioso.

Sinto-te voltar ao meu coração a passos bem lentos. Tua voz parece ser miragem, mas eu sinto-te. Teu olhar está distante, mas eu sinto-te a olhar-me. Teu sorriso encontra-se noutra galáxia, mas eu sinto que estás vinte e quatro horas a sorrir para mim. Pergunto-me se viverei em ilusão. As respostas estão lá. Contudo tu estás noutra cidade. Pergunto-te se também sentes o mesmo. Será que se um dia perguntar à lua, ela irá responder-me?! Tenho medo da resposta. Tenho medo…do nosso amor.

Ilusão. Toda a vida é feita disso mesmo, não é verdade?! Porém eu acreditei fielmente em nós. Eu acreditei nos teus olhos. Eu acreditei no teu sorriso. Eu acreditei nas tuas palavras. Eu acreditei no nosso…amor. Terá sido tudo real?! Tenho medo de saber a verdade. Tenho medo de cair na realidade e isso levar-me a esquecer todos os nossos momentos. Tenho medo simplesmente porque quero que continues dentro do meu peito, e fazes o meu coração palpitar.

Saudades. O meu coração está cheio delas. Sinto-me a enfraquecer cada vez mais, e tu não estás aqui. As saudades estão a tomar conta do meu corpo, e eu não posso ver o teu olhar. Eu preciso de ti. Eu preciso do teu sorriso. Eu preciso do teu toque. Eu preciso…dos nossos momentos, novamente. Quero-te de volta. Quero continuar amar-te. Quero continuar a escrever a nossa história sem medos de ser magoada ou de magoar. Quero que este amor resulte. Quero lutar por ti, por nós, pelo que fomos e pelo que poderemos ser.

Andreia Filipa Pereira

28 de Agosto de 2013

Medo

Uma das coisas que mais tenho medo na vida é da morte. Não apenas da minha, mas principalmente daqueles que amo. Nunca tolerei muito a ideia de alguém deixar de existir. É algo tão estranho, tão sentido. Quando alguém que conheço, mesmo sendo pessoas famosas (como por exemplo: Francisco Adam, Angélico Vieira, Princesa Diana), sinto-me a despedaçar completamente por dentro. Quando vejo alguém a partir começo a pensar naqueles que mais amo, e sinto uma necessidade enorme de os abraçar e mantê-los para sempre bem juntos ao meu peito.

Recordo-me perfeitamente do dia 13 de Janeiro de 2008. Sei que ao inicio controlei demasiado bem as lágrimas, pois queria me mostrar forte. Mas depois, vi aquela caixa castanha a que chamam caixão, e tomei consciência que uma das pessoas mais importantes da minha vida tinha partido. Lágrimas começaram a escorrer pela minha face, queimando-me as bochechas rechonchudas que ela tanto gostava. Um choro incontrolável apoderou-se de mim, e a dor povoou o meu peito de forma bastante avassaladora. Não tive tempo de me despedir dela. Não tive tempo de lhe dizer um último AMO-TE.

No dia anterior, 12 de Janeiro de 2008, fazia precisamente 10 anos que outra das pessoas mais importantes da minha vida se tinha ido. Tenho poucas memórias dela. Mas, juro-vos, as que tenho são as que guardo com mais carinho dentro de mim. Foi com ela que aprendi a andar. Foi com ela que aprendi a detestar comida fria. Foi ela que sempre me tratou como uma princesinha. Apesar de ter estado poucos anos da minha vida com ela, sinto imensas saudades. Queria poder tê-la aqui ao meu lado outra vez para me proteger dos males que este mundo me faz. Porém, sei que ela permanece bem perto de mim. Sei que quando mais preciso é ela que me protege. Sei que é ela o meu anjo da guarda. AMO-A INCONDICIONALMENTE!

10 de Outubro de 1995, foi o dia em que outra das pessoas mais importantes da minha vida partiu. Lembro-me que era ele que me fazia as vontadinhas todas. Lembro-me que bastava eu dizer “eu quero…”, e ele dava-me tudo. Lembro-me das brincadeiras que ele tinha comigo e com os meus primos. Lembro-me de ele me ter ensinado a derreter o gelado e só depois comer. Lembro-me de ele me ensinar a enrolar as fatias de queijo ou de fiambre. Lembro-me que ele me tratava como uma bonequinha de porcelana que ao mais pequeno toque se podia desfazer em pedaços. Tenho saudades. AMO-O!

Não sei ao certo o dia ou mês, mas sei o ano, 1998. Nesse ano partiu outra das pessoas que mais sentido dava a minha vida. As recordações são escassas, mas lembro-me de ele me dizer que eu era a sua princesa. Lembro-me de quando o fui visitar uma vez e ele foi super fofo comigo. Sei que apesar de ele ter partido, ele está lá em cima a olhar por mim, e por aqueles que amo e que ele também ama. E sim, AMO-O!

Com isto tudo aprendi que devemos dar valor aqueles que amamos. Aprendi que devemos dar valor aos nossos pais, aos nossos avós, aos nossos primos, aos nossos tios, e aos nossos amigos. Nunca é tarde para relembrar que amo a minha mãe e que o meu maior medo é perdê-la. Amo o meu pai. O meu primo é, digamos, o meu porto de abrigo, e eu amo-o incondicionalmente. Os meus outros primos são a essência do meu sorriso. Os meus tios são uma parte de mim. A minha melhor amiga. Essa. Sei que quando um dia a perder o meu mundo vai deixar de fazer qualquer sentido. Amo-a, e demasiado. Ela é o meu sol num dia de tempestade. Digamos que é a única capaz de me entender. Os meus amigos são simplesmente tudo para mim, e eu não consigo viver sem eles.

Não quero perder aqueles que amo. Não quero, porque sei que no dia em que cada um deles partir, um pedaço de mim irá também.

Hoje, já vários pedaços foram arrancados de mim, principalmente quatro deles. Mas sabem, é por eles que eu me mantenho aqui, forte e lutadora. Cada um deles deixou em mim uma força única. Força essa que me torna cada vez mais forte, e capaz de ultrapassar tudo.

Obrigada a todos vocês que me ensinaram tanto e me tornaram naquilo que sou hoje. Avô Nélson, avô Elias, avó Néli, e avó Mila, tenho saudades vossas. Mãe, pai, primo, melhor amiga, primos, tios, madrinha e amigos, eu amo-vos mais que qualquer coisa na vida, por isso peço-vos: NUNCA ME ABANDONEM, POR FAVOR.

Aqueles que já partiram digo um: Descansem em paz <3.

Desculpem mas senti necessidade de escrever este texto. A morte do Angélico afectou-me. É tão estranho ver pessoas tão novas a partir. Saber que o meu primo tem praticamente a mesma idade que ele, deixa-me mal e com medo, pois sinto que posso perder o meu primo.

Arrepia-me um pouco a morte dele porque lembro-me que há uns anos atrás quando o Francisco Adam partiu, ele e o resto da banda dos D’ZRT cantaram uma música intitulada “encara a estrada como um perigo”. Cada palavra dita daquela música, hoje faz qualquer sentido em ser dita ao Angélico.

Descansa em paz Angélico Vieira.

Andreia Filipa Pereira

29 de Junho de 2011

Certezas?

Sinceramente não sei se o que sinto por ti é certo ou incerto, a única coisa de que tenho a certeza é que tu és a minha vida agora, porque és apenas tu que me faz feliz, és apenas tu que preenche os meus sonhos daquela maneira grandiosa e única! É contigo que sonho todas as noites, e é contigo que quero ficar!

Não tenho certezas quanto ao futuro, quanto ao futuro do meu amor por ti, mas isso não importa agora porque agora tenho a certeza absoluta que é a ti que eu quero, que é a ti que eu supostamente amo.

Quando estou longe de ti sinto-me a morrer por dentro! Primeiro porque morro de saudades tuas e tenho uma vontade avassaladora de ir ter contigo e abraçar-te como maneira de dizer que és meu! Em segundo morro de ciúmes, ciúmes que “comas” alguém, que alguém se atire a ti e tu lhe dês atenção! Tenho medo de te perder e por isso sinto ciúmes e saudades!

Mais certezas de que isto é amor? Acho que não são necessárias, pois estas chegam perfeitamente para perceber o quanto és especial para mim!

Podem dizer-me que isto é errado, mas não quero saber pois é em ti que vejo a minha futura felicidade! Verdade? Não faço ideia, mas também não importa, pois o que importa é que agora eu te amo e tenho que tentar ser feliz por isso há que lutar por isso!

Posso sofrer no futuro sim, mas isso logo passa e acho que se te perder agora o sofrimento iria ser muito maior, pois és tu que compões o meu sorriso no meio de tantas lágrimas!

És a minha felicidade na infelicidade! Isto é possível? Não sei, mas que é isso que sinto contigo lá isso é!

E por enquanto não preciso de mais certezas pois por vezes elas só atrapalham a nossa felicidade ou então fazem com que percamos a coragem e não lutemos por aquilo que queremos e desejamos! A certeza do meu amor por ti neste momento chega para eu ter coragem de lutar e coragem de vencer os meus medos e as minhas inseguranças!

Contigo aprendi a dar-me valor e aprendi sobretudo a lutar pela felicidade! Obrigada por tudo, obrigada por me dares de novo a vida!

Por isto e por te amar eu te entrego o meu coração como nunca o entreguei a ninguém, e cabe apenas a ti se o machucas ou o fazes feliz!

Xoxo,

Andreia Pereira

(10/08/2010)

Amo-te pool @@@

I don't care...

 

Hoje decidi que irei lutar pela minha felicidade custe o que custar, irei aproveitar cada momento da vida ao máximo, irei fazer aqueles que amo felizes, irei ser feliz a minha maneira! Irei seguir todos os meus sonhos e objectivos, e numa derrota irei erguer a cabeça e seguirei em frente sem medos do futuro ou do que aconteceu no passado!

Não me importa mais o que os outros pensam de mim, pois não são eles que constroem a minha felicidade, não são eles que mandam naquilo que me faz feliz. Não me importa mais os medos do futuro e do passado, pois esses só atrapalham a felicidade! Não me importa mais o que sou fisicamente, pois o que interessa é o que sou interiormente!

E por fim não me importa que não me ames, pois o amor que sinto por ti vale pelos dois!

Por isso hoje decidi que irei lutar por ti porque és tu a minha felicidade e eu já não quero saber da opinião dos outros, já não quero saber dos medos e das inseguranças, a única coisa que me importa agora és tu e o amor que sinto por ti…resumindo só tu me importas, o resto são meros detalhes a que agora não dou nem sequer a mínima importância!

Talvez tu me venhas a magoar como nunca ninguém o fez, mas não me importo…talvez o que sinta é errado, mas não me importa…talvez isto seja estúpido, mas não me importo…tudo porque te amo, isso sim é a única coisa que me importa neste momento!

Chega de dúvidas e medos que não importam para nada neste momento! Agora sei que te amo e o resto pouco me interessa…nem mesmo o futuro!

De hoje em diante, até eu te amar, a única coisa que me importa és tu, porque és apenas tu que me faz feliz!

E agora podem dizer que estou errada e estou a cometer um grande erro mas não me importa!

As pessoas aprendem com os erros e eu irei aprender com os meus!

Xoxo,

Andreia Pereira

(31/07/2010)

I don’t care if you don’t love me…

Amo-te pool @@@

Paixão de verão ou amor?

Não sei o que sinto, não sei o que se passa no meu coração...os meus sentimentos estão tão baralhados que não consigo perceber o que sinto!

O que senti ontem quando te vi foi tão estranho...não consigo explicar o que senti porque não há explicação! Só sei que a última vez que me senti assim sofri muito, e não quero voltar a sofrer assim!

Tenho medo de voltar a amar daquela maneira, tenho medo de ficar destroçada...tenho medo!

Ontem senti um nervosismo enorme quando olhei para ti, senti as habituais borboletas no estômago que só se sentem quando alguém está apaixonado! Agora pergunto-me...será que estou a ficar apaixonada por ti?!

Eu não me possa apaixonar, não agora...já sei que vou sofrer horrores e eu não quero voltar a sofrer assim!

Afasto-me de ti para não sofrer?! Não sei se consigo, já és tipo um vício que não consigo largar, és a minha droga que me deixa completamente fora de mim!

Dizem que o amor às vezes começa com uma simples atracção...eu comecei a sentir uma atracção por ti, e agora será que te amo?

Não consigo responder as perguntas que estão no meu pensamento, não consigo entender nada sobre o que sinto...cada dia que passa estou mais confusa e indecisa!

Tenho uma vontade enorme de falar contigo e começar a ter uma amizade contigo, mas por outro lado tenho medo, medo de que não gostes de mim e que me aches uma chata, medo de me envolver demais e voltar a sofrer! Que faço?!

Preciso de saber o que se passa e o que sinto, preciso de pelo menos tentar algo contigo, preciso de deixar os medos de lado e seguir em frente, preciso de te ter ao meu lado porque sempre que estás longe morro de saudades e sinto um enorme desejo de te voltar a ver!

Será que já é tarde demais para mim para voltar a amar? Será que és apenas uma paixão de verão? Será que irei conseguir deixar de ter medo de te amar?!

 

Adoro-te pool @ (não digo amo-te, porque acho que ainda é cedo =x)