Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

" Sorrir é viver, parar é morrer "

02
Jun11

Princesa Margaret

por Andreia

Era uma vez uma linda princesa de cabelos aloirados e de olhinhos azuis acinzentados. Ela era a princesa mais bonita de todo o mundo, e os seus olhinhos eram os mais puros que existiam. O seu pequeno sorriso era o mais sincero e o mais grandioso.

Por ser tão bela e tão grandiosa, eram muitas as meninas que tinham inveja de si. Porém, Margaret não se deixava abater por isso, e lutava todos os dias contra os feitiços que essas bruxinhas de pequena idade lhe faziam. Sempre saiu vencedora, e jamais desistiu. Consideram-na bastante lutadora, e ela prova isso a cada dia que passa.

Certo dia, Margaret cruzou-se com Dominic Salvatorre e perdeu-se de amores por ele, porém negava-o. Ele era o príncipe mais cobiçado do mundo. Os seus olhos da cor do caramelo eram únicos no mundo, e o seu sorriso era dos mais maravilhosos que existiam.

Quis o destino, que Dominic se apaixonasse também por Margaret, e assim causar mais inveja no meio de Fairytale. As rapariguinhas desse pequeno reino, onde Margaret era princesa, faziam feitiços e impossibilitavam os encontros entre Margaret e Dominic. Elas eram as grandes bruxinhas daquele reino.

Ao fim de tantos feitiços e tantos desencontros, Margaret lutou com todas as suas forças contra os feitiços dessas malvadas bruxinhas. Assim que Dominic a viu, bonita e esbelta, sorriu imensamente e esticou o seu braço. Ela retribuiu o sorriso e colocou a sua suave em mão por cima da mão dele. Ele segurou-a firmemente e confessou-lhe todo o seu amor. Ela ficou completamente derretida, e também abriu o seu coração.

Ele ajoelhou-se perante si e tirou dos bolsos das suas calças uma pequena caixinha de veludo vermelho. Abriu-a e fitou Margaret intensamente. Os olhos dela cintilavam de uma maneira bastante grandiosa, parecendo duas estrelas brilhantes.

Dominic pegou na mão direita de Margaret e pediu-a em casamento. Lágrimas começaram a escorrer pela face rechonchuda e rosada da bela princesa. O príncipe preocupado perguntou-lhe o que se passava, e ela apenas respondeu que eram lágrimas de felicidade e aceitou o seu pedido de casamento.

O mês antes do casamento foi ocupado pelos preparativos e pelo castigo merecido as bruxinhas que tanto mal fizeram a Margaret.

O vestido da princesa era lindo! Era de um branco puro, com uma cauda bastante comprida. O véu assentava no seu cabelo na perfeição, e a bonita tiara que segurava o véu ao seu cabelo, era única e perfeita! Pode-se dizer que Margaret ia se torna a noiva mais bonita de sempre!

O grande dia chegou, e o nervosismo era patente em ambos os noivos. Com muitos percalços no caminho, Margaret chegou ao palácio e petrificou, uma vez mais, Dominic com a sua beleza natural.

Depois de ambos dizerem sim, e de terem jurado amor eterno, o príncipe beijou apaixonadamente a sua princesa, e assim viveram felizes para sempre.

Andreia Filipa Pereira

1 de Junho de 2011

 

Ps: Texto totalmente inspirado em M. A.! És a minha vida minha princesinha! Amo-te <3

Autoria e outros dados (tags, etc)

03
Abr11

 

Estava sentada sobre a cadeira de veludo vermelho que se situava em frente a grande cómoda de madeira escura que se encontrava encostada a uma das paredes do meu quarto. Em cima dela estavam frascos e frascos de perfume, eu amava fazer colecção deles, principalmente daqueles que ele me dava.

Olhava para a minha figura reflectida no grande espelho que saia sobre a bela cómoda. Notei que estava incrivelmente bonita.

O meu cabelo castanho-escuro caia em canudos sobre as minhas costas, e por cima, preso com pequenos ganchos brancos, estava um bonito e comprido véu branco. O lápis preto e a sombra branca faziam sobressair ainda mais os meus olhos castanhos brilhantes, que mais pareciam dois pequenos espelhos. E o rímel preto tornava as minhas pestanas ainda mais longas. O gloss brilhante delineava na perfeição os meus doces lábios.

Levantei-me suavemente para não estragar o comprido véu, e o vestido. Olhei para o grande espelho do meu gigante roupeiro, e vi como aquele maravilhoso vestido branco me ficava lindamente.

A parte de cima era um corpete, e tinha pequenos bordados de renda. A saia delineava as minhas curvas na perfeição, e a sua cauda era enorme.

Sorri esplendorosamente ao ver que me encontrava como uma verdadeira princesa.

Ele assim o merecia. Aliás ele merecia isto e muito mais, ele merecia simplesmente tudo.

Eu era capaz de tudo por ele, tudo mesmo. Era capaz de morrer, se fosse preciso, por ele. Sim, podem chamar-me tontinha, mas eu não consigo viver sem a minha alma, sem a minha combinação perfeita.

Ele é tudo para mim. É o ar que respiro, a água que bebo, o sangue que corre nas minhas veias. É o sol, a lua, a terra, o mar, o mundo. Enfim, ele é simplesmente a minha vida, o meu tudo.

Em toda a minha vida sonhei em conhece-lo e hoje estava ali, prestes a casar com ele. O que mais eu queria ter? Nada, eu já tinha tudo o que queria. Tinha o homem que amava ao meu lado, o homem com quem sempre sonhei em casar.

- Estás pronta Andrea? – perguntou meu pai, entrando no meu quarto de princesa.

- Sim já. – retorqui sorrindo.

- Então vamos, já está na hora. – sorriu-me e ajudou-me com o meu vestido. Saímos de minha casa e fomos até a pequena igreja daquela maravilhosa ilha. Assim que avistei a igreja, o meu coração começou a bater descontroladamente. Suspirei e respirei fundo, tentando manter a calma. Não havia razões nenhumas para estar nervosa. Eu amava-o, ele amava-me, e hoje íamo-nos unir um ao outro.

O motorista, contratado por ele, estacionou a limusina branca em frente a igreja. Meu pai saiu e veio-me ajudar a sair. Esticou-me o braço sorrindo-me amavelmente. Sorri-lhe também, e dei-lhe o meu braço.

A música de casamento começou a tocar, e nós caminhamos em direcção ao altar. O meu olhar correu todos os convidados, tentando procurar alguma calma. Mas não havia ninguém lá capaz de me acalmar.

E foi aí que olhei para o belo altar. Su e Paul, lá estavam no lugar de meus padrinhos a sorrirem-me grandiosamente. Retribui-lhes o sorriso, estava mais calma. Olhei para o outro lado e vi a minha prima Bia e o seu noivo Dom. Eles eram os padrinhos do meu Christopher. Bia era prima de Chris, mas visto que eu era namorada dele, também eu a tratava por prima.

Sorri-lhes esplendorosamente e eles retribuíram. Desviei o olhar para o meio, e lá vejo o mais belo de todos os homens, o homem que fazia o meu coração disparar de alegria. Envergava um bonito fato prateado, e uma bonita gravata preta.

Assim que me viu sorriu-me imensamente e os seus olhos começaram a cintilar como duas maravilhosas estrelas. Retribui-lhe o sorriso e continuei o meu caminho, até ele. Durante todo o caminho fitamo-nos intensamente, dizendo palavras de amor através do olhar.

Meu pai deu a minha mão ao meu Chris, e assim que as nossas mãos se tocaram senti-me a arder completamente, a arder de desejo por ele. Era incrível como ele me fazia sentir assim sempre que me tocava.

Beijou a minha mão suavemente e depois beijou-me os lábios suavemente. Era tão bom sentir os seus lábios doces como o mel sobre os meus. E sim, agora estava muito mais calma. Ele tinha o dom de me acalmar.

- Estás linda princesa. – sussurrou-me contra os meus lábios.

- Obrigada. – agradeci envergonhada – Tu também estás lindo meu príncipe.

- Não tens de que. – beijou-me uma vez mais e depois afastou-se fitando-me intensamente – Amo-te.

- Também te amo. – sorri-lhe e viramo-nos de frente para o altar.

O padre começou com o famoso discurso de casamento. Eu e Chris fitávamo-nos intensamente, e de vez em quando apertávamo-nos a mão um do outro, como forma de dizer aquilo que sentíamos um pelo outro.

- Christopher Ronny Summers Anderson, aceita Andrea Fabianne Smith Pacelli, como sua legítima esposa? – perguntou o padre ao meu mais que tudo.

- Sim, aceito. – respondeu olhando-me nos olhos e sorrindo. Os seus olhos brilhavam tanto.

- Andrea Fabianne Smith Pacelli, aceita Christopher Ronny Summer Anderson, como seu legítimo esposo? – perguntou-me o padre.

- Sim, aceito. – respondi sorrindo imensamente.

Depois o padre disse mais umas tantas palavras, que não sabia bem ao certo quais eram.

- Andrea Fabianne Smith Pacelli, recebe esta aliança como prova do meu amor e fidelidade. Eu prometo amar-te e respeitar-te na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, e prometo ser-te fiel todos os dias da nossa vida. – disse Chris enquanto fazia escorrer aquele doce anel sobre o meu dedo anelar esquerdo.

- Christopher Ronny Summers Anderson, recebe esta aliança como prova do meu amor e fidelidade. Eu prometo amar-te e respeitar-te na saúde e na doença, na alegria e na tristeza, e prometo ser-te fiel todos os dias da nossa vida. – disse-lhe fazendo também escorrer o anel sobre o seu dedo anelar esquerdo.

Sorrimos imensamente um para o outro.

- Há alguém nesta sala que se opõe a este casamento? – inquiriu o padre. Ninguém se opôs. – Sendo assim declaro-vos marido e mulher. – sorriu e virou-se para Chris – Pode beijar a noiva.

Chris olhou para mim e sorriu-me imensamente, enquanto aproximava os seus doces lábios dos meus. Senti o seu suave hálito a mel sobre os meus lábios, e congelei de desejo. Ele notou e enlaçou a minha cintura com as suas suaves mãos, e por fim os seus lábios tocaram os meus, fazendo-me sentir completamente no paraíso. Embrenhei os meus dedos no seu cabelo de seda e puxei-o ainda mais para mim.

Este era o melhor beijo de toda a nossa vida, era o nosso primeiro beijo unidos.

 

Andreia Filipa Pereira

3 de Abril de 2011

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D